19 de setembro de 2017

INVISÍVEL


Não sei se me enxerga 
Assisto você se vestir
Já vi muitas vezes
Conheço cada detalhe 
Seu corpo
Gosto de ver como
Ajeita com as mãos
O cabelo


Noites e noites juntos
Você me toca
Me acende
Te ilumino
Sem contudo te ofuscar
Você me usa
Pega um livro
Invejo o deslizar de seus dedos
Sobre as páginas
E a ânsia por devorar
A história
Queria me transpor


Adormece
Como se eu nada fosse
Passo a noite em claro
Velo teu sono 
Escuto tua respiração
Quero ser ar


Acorda sorrindo 
Me olha
Acho que é pra mim
Me apaga
Assopra uma vela 


Levanta correndo
Se apronta
Naturalmente 
Vai
Sem sequer se despedir


Dor
Nem um carinho
Penso em desistir
A noite te verei novamente
Adoro sua companhia
Objeto ao seu dispor
Me sinto invisível


Assim 
Levo a vida
Na expectativa
De um novo toque
De me conformar 
Entender que sou
Um simples abajur


6 comentários:

  1. Estava imaginando outra coisa... (Risos). Muito bom! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivi! Que bom que nossa imaginação pode passear! Obrigado! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha! Obrigada por fazer, mesmo que por alguns instantes, desse poema o meu ar, enchendo o meu ser com a beleza sutil que o amor emana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo!
      Me fez sorrir e marear os olhos!
      Obrigado pelo carinho transformado em palavras!

      Excluir
  4. Davi, em primeiro lugar, não entendi meu nome relacionado, se bem imagino eu! Ao ler o texto eu o fiz com um “pré-conseito” por ler outros comentários. Já fui lendo tentando imaginar o final. Falando do texto em si, achei interessante a sua imaginação e a forma de abordagem fazendo com que o leitor tenha várias ideias para o final, gosto muito desse recurso! Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tio! Obrigado pelo comentário!

      Marquei pessoas diversas que poderiam ainda não ter lido o texto. Os motivos da marcação foram diversos! Algumas marquei por gostarem de ler os textos que escrevo ou de arte em geral (música, literatura, etc). Outras marquei porque também escrevem, então são companheiras de palavras. Marquei também pessoas que admiro, e queria que elas lessem o que escrevi, aquilo de querer compartilhar com os que gosta, as coisas das quais você se orgulha de ter feito. Tipo a criança que leva o desenho pro pai olhar e receber deste um carinho e um parabéns.

      Marquei o Sr também por ser companheiro de escrita, mas principalmente por ser alguém que admiro. Agora, que o sr gostou do texto, pode ser marcado num próximo pelos 3 motivos.
      Um grande abraço!

      Excluir